Arquivo da categoria: Contos Eróticos

O caminhoneiro cacetudo

 O que vou contar aconteceu comigo , bom tenho 19 anos .sou loirinho tenho olhos azuis pele clara . há cinco anos atraz eu morava perto de um posto de gozolina onde varios caminhoneiros parava para dormir , como eu estudava do outro lado sempre tinha que atravessar o posto pra chegar até o colégio , até entao nesta epoca eu era completamente virgem , tinha meus desejos de ficar com homens mas nao passava so de desejo , um dia estava voltando do colegio e resolvi parar no posto para ficar observando os caminhoes que ali parava , andei por varios lugares do posto , e resolvi entrar no banheiro . ao entrar tinha ums tres homen la dentro , um estava saindo com uma toalha pendurada no ombro , e persebi que tinha outros tomando banho pois fazia barulho de chuveiro . fiquei no lavatorio fingindo que estava lavando minha mao , escutei um dos chveiros desligar e a porta do banheiro abrir , ao olhar pra traz meu coraçao desparou e minha perna ficou bamba , fiquei totalmente sem açao . vi um coroa ele devia ter uns 40 anos por ai de barba e pelado ele estava se enxugando . ele percebeu como eu tinha olhado , mas nao falou nada pegou a toalha e começou a secar seu pau . nossa eu nao estava conseguindo sair do lugar . eu nunca tinha visto um pau de outro homem antes e o dele mesmo mole era grande , ele olhou pra mim e sorriu .. vestiu uma bermuda e saiu .. e eu continuei ali . o outro chuveiro tambem desligou . e eu me virei de costas pra ninguem perceber . saiu outro coroa este tinha bigode era branco grandao deveria ter tambem uns 40 anos . no lavatorio tinha um espelho onde eu podia ver tudo , ele estava com a toalha enrolada na cintura . ele mexeu em uma bolsa q estava pendurada tirou uma cueca azul de dentro dela . e olhou direto pro espelho e me viu olhoando ele . ele começou a asoviar . e tirou a toalha e começou a se secar , e sempre olhava pro espelho . ele pegou no seu pau e ficou balançando ele . nossa neste hora pensei que meu coraçao iria sair pela boca . fiquei com medo mas nao conseguia sair dali . e ele muito sacana ficou pegando no pau dele e olhando pra mim . nunca tinha visto um pauzao daquele . o pau dele tinha ficado meio duro . ai ele vestiu a cueca colocou uma bermuda e foi ate o lavatorio , começou a lavar suas maos e me perguntou . oque faz aq ?? eu gagueijando disse vim lavar minhas maos . e ele falou , mas tem mais de 20 minutos que vc ta aqui . eu estava te vendo pelo buraco da porta .. eu fiquei gelado .. e sem açao . ele chegou perto de mim apertou minha bunda e falou .. esta bundinha ja levou ferro ?? eu nao conseguia falar so balancei a cabeça dizendo que nao .. ele deu um sorriso e falou . quer levar ferro nesta bundinha ?? nesta hora meu coraçao foi a mil . balancei a cabeça dizendo que sim ,, mas nen sabia oque estava dizendo , pois estava completamente , paralizado . ele falou no meu ouvido vou sair e vc me segue até meu caminhao . vou dar uma mamadeira pra vc . e saiu . eu joguei agua no meu rosto e pensei em ir embora , mas minha vontade era maior , e resolvi ir . quando sai do banheiro ele estava parado na porta de um caminhao grande vermelho , e fez sinal pra mim . fui até la , entrei ele fechou a porta e foi arrumando as cortinas do caminhao . eu estava gelado . ele tirou e bermuda e ficou de cueca . e disse pra mim tira este short fica peladinho que vou te dar um trato . ai eu falei que nunca tinha feito aquilo . ai ele falou mas voce quer ?? eu balancei a cabeça dizendo que sim . ai ele pegou minha mao pois no pau dele e disse olha o tamanho da sua mamadeira tirou a cueca e eu vi um pau imenso que mal cabia na minha mao , e ele disse mama gostoso . eu sem jeito coloquei minha boca no pau dele e ele começou a gemer e forçava minha cabeça pra baixo e fui chupando chupando até q ele parou e falou deita aq de bundinha pra cima deixa eu ver seu cuzinho . deitei e ele abriu minha bundinha e falou nossa mas que cuzinho lindo todo rosinha hummmm . e começou a passar a lingua nossa foi a sensaçao mais deliciosa q eu ja tinha sentido , ele lambia meu cuzinho e falava . hoje voce sai daq sem seu cabacinho vou arrombar este cuzinho lindo . hoje voce vai ser minha putinha . ele falava isso e eu ficava com mais medo doq ja estava .. ai ele pegou um gel q estava embaixo do banco passou no meu cuzinho e no pau dele , e falou vai doer um pouquinho mas depois voce vai gostar .. e veio pra cima de mim . encaixou seu pau no meu cuzinho e foi forçando , nossa na hora q começou a entrar eu comecei a gritar dizendo q nao queria mais , que estava doendo . ele falou vc quer sim vc vai aguentar meu cacetao todinho neste cuzinho sim vc nao queria dar ?? agora vai dar sim e soltou seu corpo em cima do meu e eu senti meu cuzinho sendo rasgado . tentei fugir ele me segurou . com uma mao tapou minha boca e falou vou por tudo no seu cuzinho minha putinha , e foi empurrando aquele pauzao todo . nossa cada pedaço q entrava parecia que estava estalando algo parecia que meu cuzinho estava arebentendo 
, eu comecei a chorar , mesmo a sim ele não parou . enfiou tudo ate eu sentir seus pentelhos bater na minha bundinha . ai ele falou ta vendo , não falei q vc aguentava , agora relaxa que ja ta tudo dentro da sua bundinha .. e começou a bombar . dizendo q meu cuzinho era maravilhoso que eu era sua putinha manhosa , e foi aumentando o ritmo . até q ele soltou um grito e falou toma leitinho no cuzinho toma .. eu ja não tinha mais forças .. ele saiu de cima de mim eu ainda estava chorando e ele falou .. depois disto vc vai me agradecer . me deu um beijo vesti minha roupa . ia descendo do caminhão ele segurou no meu braço e falou daqui a 15 dias estou de volta e sei que você vai contar os dias pra vir dar seu cuzinho pra mim de novo .. desci do caminhão todo arrombado . fiquei uns 4 dias com dor na minha bundinha . depois de cinco dias comecei a contar os dias pra ele voltar e dei pra ele de novo …

Conto Erótico Caminhoneiro e o muleque

Tenho 34 anos e sou dono de um caminhão poli guindaste, que eu mesmo dirijo e sou sócio de um com caçamba.

Tenho muito trabalho, moro num bairro modesto da cidade, já fui amigado duas vezes, com a primeira mulher fiquei 7 anos e tivemos uma filha, com a segunda 4, ela já tinha um guri e não tivemos nenhum…já estou sem uma fixa a quase 3 anos.

De jovem tive experiências com outros caras, mas só aventuras, nada que eu achasse que fosse me comprometer.

Peguei uma empreitada da prefeitura, um trabalho que vai me dar uma grana boa.

Serão 2 semanas de trabalho extra.

A vida de motorista de caminhão é solitária, procuramos ter um ajudante quando é possivel.

Tenho uma vizinha, que posso chamar de amiga, que tem 3 filhos um deles esta na idade que ela chama de difícil, com medo dele ficar atoa na rua, fumar e beber com 16 anos, ela sempre procura uma atividade pra ele.

Então, ela me perguntou se ele não poderia trabalhar comigo.

Ai, lembrei que seria bom ter um ajudante neste momento já que teria que trabalhar dobrado.

Ele iria me auxiliar neste trabalho pela manhã, ele estuda a noite.

O trabalho começa muito cedo, é bom chegar antes da 6 da manhã, porque se vc fica por último, pega menos carregamentos.

Ele foi lá conversar comigo, o Tiago, já o tinha visto pela rua, mas nem tinha prestado atenção no muleque.

Ele tem, um pouco mais de 1,70m, deve pesar 63 kg, moreno, rosto bonito e liso, cabelos curtos, corte de boy.

Perguntei se tava interessado, disse que sim, me pareceu muito timido, tinha um olhar pra longe.

Falei que teria que levantar muito cedo para me acompanhar, ele disse que não tinha problemas.

Na segunda-feira, começou comigo, teve que levantar as 4:30 da manhã, porque o trajeto até o local do trabalho era longo. Chegou todo bem vestido com aquela roupas de boy…disse, olha que vamos transportar terra vermelha…ele falava pouco, na verdade tava era com sono.

Quando começamos a viagem, ele começou a cochilar, de repente, sua cabeça caiu sobre os meus ombros, falei acorda “muleque”! Deu um sorriso, mas não durou muito, logo depois tava dormindo de novo e caind0 sobre os meus ombros…pesou tanto que foi inconscientemente, procurando mais conforto, passando pelo meu peito, até se ajeitar e deitar nas minhas pernas, quase chegando no meu colo.

Eu trabalho, de bermuda, procuro ficar mais confortável possível, as vezes ficamos em lugares muito áridos e quente.

Eu sou magro, tenho 1,75m, peso 76kg, tenho cabelos curtos, escuros e cheios, tenho pelos no peito, barriga e pernas, sou peludinho, fios grossos e longos, tenho um bigode e tenho olhos verdes escuros, discretos. Sou um cara de boa aparência, rosto mais afinado. Minha pica tem 15 cm, fina, cabeça rosa exposta e tenho muitos pentelhos e saco peludo.

Essa cabeça dele quase no meu colo, pela manhã, me deu um certo tesão, fiquei de pau duro. Deixei ele dormir um pouco no meu colo, depois o acordei de novo.

Passamos uma parte do dia juntos, deixei-o por volta das 16 horas na casa dele.

Na outra manhã, fomos cedo novamente, não achei cueca limpa e fui de bermuda sem cuecas mesmo.

Não é que acontecu a mesma coisa, o garoto dormiu de novo, sendo que desta vez deixei ele acomodar bem sua cabeça no meu colo…um tesão danado…ele respirava sobre o meu pau, não aguentei e pus meu pau pra fora da bermuda, ajeitei a cabeça dele de forma que enconstava o nariz e a boca no meu cacete.

Ajeitei mais um pouco, deixando a cabeça da minha pistola bem nos lábios dele…para minha surpresa, não é que começou me lamber…quando digo lamber, foi como se fosse uma chupeta…parecia fase oral do garoto…aos poucos, fui acertando a cabeça do meu pau dentro daquela boquinha…ele com os olhinhos fechados, parecia que mamava e sonhava e eu dirigia e delirava com aquela situação.

Diminui bem a velocidade, para ir curtindo aquele sensação.

Meu pau começou a babar, coloquei o braço sobre parte do pescoso e ombros dele, de forma que a cabeça dele não se removesse dali.

Já tinha quase meia hora que aquilo estava acontecendo e já estavamos chegando e comecei a fazer um movimento, de leve, com os quadris, de baixo pra cima…senti que ia ejacular…gozei forte, muito naquela boquinha…um pouco da minha porra voltou…eu estava satisfeito e apreensivo com aquela situação.

Procurei acordá-lo, pois, tinha que fazer as manobras para estacionar. Ele acordou, parecia que estava dormindo mesmo pesado…eu nem acreditava…

Passei o dia todo om aquilo na cabeça.

Fiquei, mais atencioso com ele, mais carinhoso também, ele era muito bom de lidar, tinha uma conversa de homem.

Tava louco para comer aquela bundinha gostosinha, de muleque.

Então, surgiu uma oportunidade, começaria uma obra, em uma estrada próxima, no sábado pela manhã, perguntei pra ele se topava ir pra lá na sexta a noite, dormiriamos por lá e estaríamos bem cedo na obra.

Ele topou.

Lá perto, tem uma parada, hotel, motel, bar, restaurante e aquelas prateleiras com vários produtos, tipo roupas, dvd’s e outras bugigangas. Peguei ele olhando para umas cuecas, aquelas que os boys gostam de ficar exibindo com aquelas calças caidas.

Falei , quer comprar, pega ai…ele se animou e paguei, ficou feliz com o presente.

Fomos pro hotel, chegamos lá no quarto, tinha duas camas de solteiro, começamos a tirar a roupa, perguntei pra ele não vai experimentar as cuecas novas?

Ele só fez afirmativo com a cabeça, tirou a calça e virou de costas para, deixando eu ver aquela bundinha lisa, bonitinha e gostosinha, fiquei louco.

Eram duas, experimentou a preta primeiro e perguntei não vai experimentar a branca…quando retirou a primeira, virou de lado de forma que vi seu pau duro. Olha, uma pistola morena, grossa e com certeza maior que a minha.

Eu já estava de cueca, falei já meio atrapalhado pelo tesão, ficaram boas , né?

Respondeu sim…como ele usou a cama para por a mochila e o embrulho, sugeri imediatamente, que dormíssemos na mesma cama, deixando a outra para por nossas coisas…ele não me contrariou, vestiu novamente a cueca azul desbotada de elástico frouxo e veio pra cama que eu estava.

Apaguei a luz e deitei do lado dele, já passando meu braço pelo seu pescoso, no qual não relutou.

Virou as costas pra mim, instantaneamente o abracei por trás…já encoxando bem de leve aquela bundinha.

Passei a mão no seu pau que tava bem duro, apertei mais o meu na bundinha dele.

Comecei falar coisas desconexas, como”perai” e fui abaixando a cueca dele e a minha.

Enviei meu pau entre o reguinho dele e as pernas.

Tava no tesão danado, afim de comer logo ele.

Meu cacete começou babar muito, procurei mirar no cuzinho, mas de nada adiantou, não era suficiente, o virei de bruços e forcei um pouco, mas também nada, assim, abaixei e lambi aquele reguinho, aquele cuzinho, deixando bem molhado e tentei de novo, mas nada, era muito apertado.

Fiquei, então só cutucando com a cabeça do meu pau na portinha e veio sensação de gozo, comecei a gemer e esporrei muito no reguinho dele.

Sai de cima dele e ele quis levantar também , segurei ele um pouco e fui tentar limpar minha porra que estava na bunda dele.

O trabalho iria continuar na segunda pela manhã, fiz de novo a proposta pra ele de irmos no domingo a noite e dormirmos lá. Ele topou, novamente.

Depois do mesmo ritual, viagem e lanche, fomos pro quarto e ele estava mais a vontade, foi tirando a roupa e estava usando uma das cuecas que ganhou de presente.

Falou que as meninas gostavam de vê-los usando aquelas cuecas. Então, brinquei é a cueca da paquera, ele confirmou.

Desta vez sem desculaps já fomos para mesma cama, sendo que ele deitou de bruço, só de cuequinha.

Fiquei louco de tesão e já fui deitando sobre ele, eu também estava de cueca.

Comecei beijando o nuca dele, tentei a boca ele desviou, fui pras costas até a bundinha.

Passei o nariz, retirei a cueca toda dele e deitei de novo em cima dele.

Comecei a pincelar minha pistola no reguinho dele, levantei e peguei o gel, desta vez eu estava mais preparado, ele olhou pra ver o que eu estava fazendo, passei gel no meu cacete e dei uma dedada de leve no cuzinho dele.

Mirei minha pistola na portinha e forcei, ele gemeu e a cabeça passou da portinha…muito gostoso.

O cuzinho dele era muito apertado, nem dava para bombar, se o fizesse, teria que forçar muito e poderia doer muito tambem…consegui colocar tudo e quase não mexia, era um vai e vem bem curto e leve lá dentro.

Sentir que iria começar a gozar e gozei…comecei a rezar um terço..”ai meu deus, ai meu deus do céu, nossa senhora, putaquepariu…”e esporrei muito e longamente dentro daquele cuzinho…fiquei mais um tempinho lá dentro ainda. Tirei e o abracei e dormimos.

Passei a semana toda querendo mais, mas ele tinha outras tarefas e não ficava dando mole.

Procurava outra oportunidade para comer aquele muleque…até que surgiu…no sabado teria um show de umas duplas sertaneja no parque de exposições de uma cidade próxima, perguntei se ele topava ir, topou.

Lá nos divertimos e tomei algumas, na hora de voltarmos, já estava tarde, ai falei pode dormir lá em casa?

Ele disse sim, minha mãe tá sabendo que deveriamos chegar tarde, não vai ter problemas.

Chegando em casa fomos tomar banho, mandei ele ir primeiro depois entrei no box também.

Ele ja´tava com cacete meia bomba e eu também.

Nos enxugamos e eu o ajudei enxugar, fomos peladões pra cama.

Na cama fui logo tratando de abraçá-lo e ele retribui o abraço…virei ele de bundinha pra cima e e fui logo metendo a lingua naquele cuzinho, cheirosinho que tinha acabdo de ajudar lavar.

Tava com tesão demais e não queria enrolar, queria meter e muito nele.

Desta vez, com conforto, tava em casa, poderíamos ficar mais avontade.

Falei, menino voce tem um pauzão, hein? Maior que o meu…ele riu e completou e mais grosso também…falei oh, sem abusar…e rimos.

Depois que lambi bem, comecei a posicionar a cabeça do meu pau…passei gel e foi entrando…ele gemeu..gememos e entrou tudo, tava dando pra bombar um pouco mais que da primeira vez…ele estava arfando e eu gemendo…já estava a um tempo fudendo quando ele perguntou se iria demorar pra gozar…falei que quando bebia demorava mesmo…comecei subir a cabeça do meu pau até quase tirar e enviava tudo de novo… a cabeça da minha pistola começou inchar e comecei a gozar , esporrei muito dentro daquele cuzinho…fiquei um tempão ainda lá dentro, meu pau não baixava…

Nossos encontros durarão por tres meses…depois ele arranjou um emprego de telemarketing e preferiu.

Fomos nos vendo cada vez menos…confesso que bato umas até hoje pensando nisso.

Abração a todos.

COM O TIO CAMINHONEIRO

Fala rapaziada, meu nome é JR, tenho 21 anos, moro no interior de SP. Esse é meu 1ª relato de uma bela foda, que aconteceu há uns 4 anos. Tenho um tio, irmão da minha mãe, caminhoneiro, ele tem hoje 41, é muito gostoso, jeitão de macho, forte, queimado de sol, do tipo que sempre está de regata ou simplesmente sem camisa. Ele tem uns 1,80m, uns 75 kg, cabelo ondulado com as laterais ficando grisalho, duas tatos: uma carpa no abdômen e uma arraia na panturrilha … sempre achei um pedaço de mau caminho. 
Como disse, o tio “Miguel” (troquei o nome, é claro) trabalha transportando cargas para várias regiões do país, assim como o meu vô, pai dele. Em um mês de Julho, minhas férias do 2ª ano do ensino médio, pedi para ir com ele para o Sul, em uma viagem de 19 dias (contando ida, descarga e volta), ele disse que sim, que seria legal ter companhia e me ensinar a profissão. Minha mãe ficou com medo, pois estrada é perigosa, mas deixou.
Saímos de Rio Claro no dia 02, bem cedo, pegamos a estrada com destino a Santa Maria-RS. Sempre nos demos muito bem, éramos muito íntimos, ele sempre me contava das namoradas (ele era divorciado, com 1 filho apenas), das escapadas etc. Eu fazia o mesmo, é claro, numa proporção bem menor, já que não tinha muita experiência na época. Fomos conversando, sobre a pista, coisas engraçadas que aconteceram. A certa altura tio Miguel começou a falar das putas da estrada, de como eram muitas, e que na região sul eram lindas, cheirosas e “apertadinhas”. Me contou que certa vez estava, quando era casado, estava na estrada há 19 dias, sem ver xana, tava com o pau latejando, dirigindo com o caralho duro todo o tempo, batia uma punheta a cada 4 horas e nada do tesão dar trégua. A noite, parado no posto, se preparando pra dormir, ouviu uma batida na porta do caminhão. Abriu, com medo, pois poderiam ser ladrões, mas eram duas garotas, aparentando uns 19 anos. Estava quente e elas vestiam roupas muito curtas, disse ele. Perguntaram de cara se ele queria uma foda. Ele não pensou duas vezes, pegou as duas e levou pra boleia. Tirou a roupa das duas e chupou suas xanas por uns 30 min. Depois elas retribuíram e chuparam seu pau juntas, um pau de uns 19 cm, mas grosso, com uma cabeça rosa perfeita. Depois ele contou que comeu as duas, fodeu forte, encheu a xana da mais peituda de porra. Recebeu uma chupada e depois gozou na boca da mais magra, mas que segundo ele, tinha uma xana super cheirosa. Uma delícia.
Depois desse relato, fiquei de pau duro, não tinha como não ficar. Imaginar meu tio gostoso, fodendo duas “gurias” so sul, no mesmo caminhão em que viajávamos. Mudamos de assunto por ai.
Depois de 2 dias de viagem, paradas e pernoites na boleia, numa noite, estávamos dormindo, por volta das 3h, quando ouvimos uma batidinha na porta. Meu tio foi dar uma olhada e era uma mulher, super bonita. Se oferecendo (ísso é muito comum nas estradas). Ele me olho sem graça e falou que queria dar uma gozada. Pediu pra eu voltar a dormir e saiu com a mulher. Ficaram do lado de fora, no escuro, apenas sob a luz da lua, cor azulada, e alguns postes ao fundo, entre os vários caminhões. Estava frio, mas eles nem ligaram. Sei disso pq não consegui voltar a dormir. Fui para o banco da frente e fiquei espiando pelo retrovisor.
A puta se ajoelhou e desabotoou o short do titio, fazendo aparecer aquele caralho bonito e já duraço. Mamou o caralho uns 19 min. Uma hora dessa eu já tava de pau duro, vendo aquela cena. Não demorou e o tio tirou a camisa e a bermuda, ficando peladão entre os ônibus. Tirou a roupa da puta (que era gostosa), deu umas lambidas na xana dela e se posicional pra meter. Nessa hora vi que ele estava fora de controle, pois não vi, em momento algum ele vestindo a pica com borracha. Encostou a piranha na lateral do caminhão e meteu na xana (eu acho, pode ter sido no cuzinho) começaram num vai e vem frenético … eu tava quase gozando só de ver. Meu pau tava rasgando a minha cueca boxe. Fiquei ali vendo meu tio foder a puta gostoso, com cara de quem queria foder até morrer. Os gemidos eram muito gostosos, me deixavam ainda mais louco. Comecei a me punhetar gostoso, mas logo ouvi um gemido mais forte e meu tio falando pra vadia que ia encher ela de porra. E assim ele fez. Ficaram assim mais alguns segundo e elo se vestiram. Ela foi embora e ele voltou pro caminhão.
Ou ver a cena, fiquei com medo dele descobrir que fiquei batendo uma vendo ele … e voltei correndo pra boleia. Nem consegui gozar e meu pau latejava, deixando a cueca molhada.
Meu tio entrou, tirou a camisa e deitou no meu lado (estávamos dividindo um colchão de casal) se cobriu com o edredom. Fiquei calado, fingindo dormir. Ele, sem querer, se mexeu e esbarrou no meu pau, duraço. Se assustou e começou a me Zuar:
– Caralho JR, vai dormir com essa tora apontada pra mim mesmo.
Fiquei muito sem graça e resolvi Zuar pra descontrair:
– Ah tio, vc tava comendo a puta, deve ter gozado gostoso, mas e eu? Tava escutando a gemação. Fiquei de pau duro. Coisa de macho.
Ele riu e concordou. Depois disse:
– Mas e a e, quer come-la também? É só chamar a biscate. Ela tá aqui pra isso. Quer?
– Não tio, tô de boa.
– Ah moleque, vai ficar de pau duro, faz mal. Bate uma pelo menos. – disse meu tio.
– Mas aqui? Com você do meu lado? Tá brincando. Não consigo.
– Para de ser viado rapaz. Macho curte bater uma com os amigos. Não liga pra isso não.
Não pensei duas vezes, tirei meu pau de lado, na cueca, cuspi na mão e comecei a me punhetar, bem rápido. Não tinha como disfarçar o balançar do colchão e o barulho de pau sendo descabelado.
Me surpreendi quando percebi que o tio Miguel estava abaixando o short e punhetando também.
Ele disse que a vontade tinha voltado.
Ficamos um do lado do outro. Nos masturbando. No escuro.
De repente um caminhão para na nossa frente com os faróis acesos. Iluminando o teto da boleia e deixando a cabine mais clara. Nisso vi o belo caralho do titio, e não consegui parar de olhar. Estava hipnotizado, encarando mesmo. Quase gozando.
Ele percebeu e ficou meio cabreiro, mas não parou.
Punhetava aquele pau, que já estava vermelho meio esfolado da foda com a puta.
Começo a se exibir pra mim.
Não consegui controlar e gozei gostoso, mandando porra pra tudo quando era lado. Um dos jatos acertou a cabeça do pau do meu tio. Outro na cara dele.
Ele assustou, mas acabou rindo e dizendo que eu tinha uma boa gozada. Dai ficou sério e falou que eu teria que limpar o que sujei.
Dei risada, afinal pensei que fosse brincadeira, mas não.
Peguei um papel e fui limpar seu rosto, ele segurou minha mão e disse:
– Lambe. Macho que é macho não tem nojo da própria porra.
Fiquei sem graça mas passei a minha língua no seu rosto, parando bem próximo da sua boca.
Ele riu e olhou pro pau dele, latejando e todo melado com o meu jato de porra e com o melado dele.
Dai segurou minha cabeça e me colocou de cara com o seu pau. Tive um pouco de nojo, mas na hora me deu um tesão e eu cai de boca no caralho do titio.
Chupava gostoso, passava minha língua na cabeça deliciosa daquela pica. Limpei tudo e quando fui levantar ele me segurou dizendo que o serviço não estava completo.
Deu uma suspirada e enchei minha boca de porra.
Porra quente e grossa. Delícia.
Mandou eu engolir. E disse que eu era a puta dele.
Depois disso fodemos gostoso. Mas isso fica para o próximo relato.
Sou de Rio Claro, mas estou morando em Campinas-SP, estudando. Adoro caras maduros, que adorem chupar um belo caralho e levar vara na bunda. 

Contato

A primeira vez com um caminhoneiro (verídico) conto erótico enviado

vou relatar algumas aventuras na BR 101 Sul em SC. Foi o começo para que eu pudesse relatar agora o que aconteceu neste ultimo domingo durante a madrugada. sempre me exibia para os caminhoneiros em pontos da BR 101, até então apenas fica nú dentro do carro durante o dia. Minha ousadia começou no incio deste ano, quando comecei a ficar totalmente nu do lado de fora do carro, isso claro em horários de pouco movimento, como tarde da noite e durante a madrugada. Pois bem, neste ultimo sábado para domingo, fui ate a localidade de Içara num trecho da rodovia onde nao existem muitas casas. como no trecho a uma passagem para os veículos fazerem o retorno, fiquei justamente na saída dela, praticamente o meu carro ficava rente a pista principal, local ideal para um bom exibicionismo. Olhando pelo retrovisor eu tinha a visão dos veículos que estavam se aproximando, então sempre que era um caminhão e saia do carro totalmente pelado e fazia minha exibição. claro que recebia algumas buzinadas de uns, e outros nem ai. Por volta de meia noite e meia, eis que vejo surgir no retrovisor apenas um caminhão vindo na pista, sem outros veículos por perto. Como o motorista vinha em baixa velocidade, ficou fácil para ele me visualizar no acostamento. Sem que eu esperasse o mesmo deu sinal de luz e foi para o acostamento. entrei para dentro do carro num misto de medo e tesão, afinal poderia ser algum que não gostasse da ideia e poderia querer tirar satisfação. Ele ficou parado no acostamento, enquanto eu emparelhei o carro. Ele com o vidro baixado eu perguntei se ele estava sozinho, disse que sim. coloquei meu carro em frente ao caminhão, e o motorista vei atá mim. O safado ja chegou na janela dando uma mãozada no meu pau que estava duro, haja visto que eu estava pelado ali na frente dele. Ele era do RS e estava indo para SP, me disse que estava louco por uma brincadeira. Foi minha noite de sorte. Combinamos de sair dali e ir para o estacionamento de um posto de gasolina onde ficaríamos a vontade.Lá fomos nos. Paramos em um posto as margens da BR em Jaguaruna. Ele estacionou num local mais afastado dos outros caminhões e eu do lado dele. Fui ate a cabine onde o mesmo já estava fechando a cortina. Entrei, conversamos um pouco e começou a putaria. O cara deveria ter entre 36 ou 38 anos de idade, barba por fazer, peito peludo e uma vara que nunca tinha visto antes, grossa e comprida. Me disse ele que curtia tudo, enquanto eu tirava minha roupa. Pronto, estávamos os dois sem roupas dentro do caminhão. O safado começou a me chupar e depois eu o chupei, ficamos assim por muito tempo, inclusive saímos fora do caminhão tbm. Para terminar ele pediu para ver minha bunda, nao exitei e fiquei de quatro pra ele no banco. O gaúcho então lubrificou com a própria saliva e tentou meter aquele caralhao, mas sem chance: um que estávamos sem camisinha e outro que era muito grande mesmo. ficamos assim por um bom tempo ate que ele anunciou que queria gozar na minha bunda….que delícia sentir aquele leite quente saindo aos litros. O safado ainda me limpou todo com papel que havia no caminhão, e depois ficou me acariciando enquanto eu gozava…foi inesquecível esta noite. depois nos vestimos e ficamos conversando. Me disse ele, que sempre rola essas brincadeiras com caminhoneiros. Pedi se gostaria de trocar numero de celular para contato, ele disse que nao, o que nao forcei, até pq é um direito dele. Se mais alguém curte essas brincadeiras vamos manter contato. E se vc for caminhoneiro e estiver afim, faça contato tbm. Sou separado, 45 anos, nao afeminado, apenas homem que gosta de homem.
Abrços !
E-mail: sexocaminhoneiro@gmail.com